Total de visualizações de página

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Pressionado pelo Dem,Serra anuncia deputado Indio da Costa como vice



O PSDB e o DEM bateram o martelo nesta quarta-feira (30) e confirmaram o nome do deputado federal Indio da Costa, do DEM do Rio de Janeiro, como vice na chapa do tucano José Serra. Segundo a cúpula dos partidos, os critérios para a escolha do parlamentar levaram em conta o fato de ele ser jovem, ter uma boa presença no Congresso Nacional, ter sido um dos relatores do projeto Ficha Limpa e, principalmente, por ser do Rio de Janeiro, terceiro maior colégio eleitoral do País.

O DEM e o PSDB passaram por uma crise ao longo desta semana, que envolveu desde troca de ofensas até boicote do nome do senador Alvaro Dias (PSDB-PR). Para tentar reverter a situação, as cúpulas dos dois partidos se reuniram u em São Paulo mais de uma vez para tentar apaziguar os ânimos do DEM, que se sentiu alijado da decisão sobre quem seria o vice do Serra.

"Isso foi uma vitória da política porque Indio da Costa tem a cara da renovação que estamos fazendo", afirmou o deputado federal ACM Neto (DEM-BA). A necessidade de fortalecer o palanque no Rio pesou. No Rio de Janeiro, o PSDB é vice de Fernando Gabeira, do PV, e não ocupa nenhuma das vagas ao Senado. "A decisão amplia os nossos ânimos", completou o deputado.

Um dos relatores do projeto que prevê a exigência de Ficha Limpa para políticos disputarem as eleições, Indio da Costa foi vereador por três vezes no Rio de Janeiro e está em seu primeiro mandato na Câmara Federal. O carioca, que iniciou carreira política no PTB, é ligado ao ex-prefeito Cesar Maia e é filiado ao DEM desde 1995. O novo vice de Serra desbancou nomes como o senador paranaense Alvaro Dias, indicado pelo PSDB; a ex-vice-governadora do Pará, Valéria Pires; o deputado federal José Carlos Aleluia e o ex-deputado e ex-ministro Carlos Melles.

Segundo ACM Neto, o nome de Indio da Costa surgiu nas últmas horas e o presidenciável José Serra participou da decisão. Ainda para ACM Neto, o fator que mais pesou na escolha foi a importância de ter o DEM na chapa.

O presidente nacional do DEM, Rodrigo Maia, disse que não foram impostos nomes pelo DEM e a proposta de Indio foi construída na madrugada de terça para quarta-feira (30).

Rodrigo Maia saiu da casa de Serra, às 14h40, junto com o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. "Nós nos reunimos depois de algumas horas de diálogo, desde ontem (terça-feira),com (o governador) José Serra e (o governador)Aécio Neves, para discurtir a questão da vice. Fechamos agora o nome do deputado do Rio de Janeiro Indio da Costa, que é um deputado jovem, teve uma atuação no Rio de Janeiro muito importante e trabalhou de forma correta no Ficha Limpa. Tenho certeza que vai agregar muito nas eleições deste ano", afirmou Maia.

Segundo Maia, a cúpula que se reuniu de madrugada colocou como prioridade o método e depois a discussão de nomes de todos os partidos da coligação. "O nome foi se construindo ao longo das últimas horas, primeiro de madrugada, (...) e daqui pra frente vamos preparar nossa campanha".

Questionado sobre se as feridas ainda estão abertas, ele disse que democratas e tucanos estão zerados. "Essas questões estão todas superadas. Foi importante. Todos tiveram maturidade. A questão do Paraná se desfez não por uma vontade do PSDB, mas por uma questão local, decisão do Osmar".

Conforme Maia, todos os líderes partidários foram consultados acerca do nome de Indio da Costa que já exerceu três mandatos de vereador e um de deputado federal, além de ter sido secretário de Educação da Prefeitura do Rio. "Quando eu e o prefeito Gilberto Kassab viemos conversar com o governador Aécio Neves e José Serra, deixamos claro que não íamos impor nomes do nosso partido. Gostaríamos de indicar a chapa, era o caminho natural", disse o presidente do DEM.

Recusa a Alvaro Dias
A cúpula do DEM agiu para convencer o senador Osmar Dias (PDT-PR) a se lançar candidato ao governo do Paraná pea coligação PT-PMDB e, consequentemente, implodir a pretensão de seu irmão, Alvaro Dias, de concorrer nas eleições de outubro como vice do tucano José Serra.

Escanteado pelo PSDB, o DEM garantiu com a manobra que Osmar monte um palanque para a petista Dilma Rousseff no Estado e acabou por tornar injustificável a presença de Alvaro Dias como vice na composição serrista.

Laryssa Borges
Marcela Rocha
Marsílea Gombata
Direto de Brasília e São Paulo

Nenhum comentário: