Total de visualizações de página

sábado, 28 de maio de 2011



ELEITA NOVA EXECUTIVA NACIONAL DO PSDB


Comissão Executiva Nacional
(10º Convenção Nacional)


Presidente de Honra: Fernando Henrique Cardoso


Presidente: Sérgio Guerra


1º Vice-Presidente: Alberto Goldman


Vice-Presidente: Eduardo Jorge Caldas Pereira
Vice-Presidente: Emanuel Fernandes
Vice-Presidente: Flexa Ribeiro
Vice-Presidente: João Almeida
Vice-Presidente: Nion Albernaz


Secretário-Geral: Rodrigo Castro


1º Secretário: Paulo Bauer
2º Secretário: Alfredo Kaefer


Tesoureiro: Márcio Fortes
Tesoureiro Adjunto: Reinaldo Azanbuja


Líder no Senado: Álvaro Dias
Líder na Câmara dos Deputados: Duarte Nogueira


Vogal: Andrea Matarazzo
Vogal: Andrea Zito
Vogal: Bonifácio Andrada
Vogal: Bruno Araújo
Vogal: Cássio Cunha Lima
Vogal: Cícero Lucena
Vogal: Jutahy Magalhães Junior
Vogal: Leonel Pavan Vogal: Silvio Mendes
Vogal: Telma de Oliveira


Suplente 1: Wilson Santos
Suplente 2: Terezinha Nunes
Suplente 3: Márcio Bittar
Suplente 4: Otávio Leite
Suplente 5: Elton Rohnelt
Suplente 6: Moema São Tiago
Suplente 7: Antônio Luz


Ex-Presidentes: Fernando Henrique Cardoso
Pimenta da Veiga
Teotônio Vilela
José Aníbal
José Serra
Eduardo Azeredo
Tasso Jereissati

segunda-feira, 23 de maio de 2011

APROVADA A NOVA DIRETORIA DO ITV-INSTITUTO TEOTÔNIO VILELA DE ITANHAÉM


Prezados(as) Companheiros(as)



Informamos a todos que foi aprovada a nova diretoria do ITV-Instituto Teotônio Vilela de Itanhaém, que deverá iniciar suas atividades em breve na nossa cidade.

O Instituto Teotônio Vilela (ITV) é o órgão de estudos e formação política ligado ao PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira). Por lei, todos os partidos políticos são obrigados a manter uma entidade de natureza doutrinária, visando o aprimoramento de seu ideário. Fundado em 19 de setembro de 1995, com autonomia financeira e gerencial, o ITV se responsabiliza pelo aperfeiçoamento e pela divulgação da doutrina social-democrata no Brasil.

Cabe ao instituto promover estudos, seminários, palestras e debates sobre a realidade nacional, regional e municipal, com objetivo de formular políticas públicas coerentes com o ideário da social-democracia: respeito aos princípios democráticos, responsabilidade fiscal e social, coerência e ética política.

Publicações variadas compõem um acervo bibliográfico útil para acadêmicos, pesquisadores, cientistas sociais e estudantes. Revistas de divulgação contemplam o interesse de simpatizantes e militantes da social-democracia, fornecendo-lhes elementos básicos para o debate político e ideológico.

A ação do ITV se estende - a partir de sua sede, em Brasília - pelos 26 estados do país, cada qual com sua representação municipal. Nas eleições, tal rede de formação política dedica-se ao preparo e treinamento dos candidatos, especialmente nos pleitos municipais, que é o nosso caso.



O ITV – Instituto Teotônio Vilela de Itanhaém assim ficou formado:

Allan Kardec Pitta Veloso

Diretor Presidente

José Benedito Rivera Silva

Diretor de Formação e Aperfeiçoamento

Valdomiro Martinez

Diretor de Estudos e Pesquisas

Cíntia Daipré

Diretora de Marketing Político e Eleitoral

Marcelo Franco Valle

Diretor Financeiro



O ITV de Itanhaém já tem idéias para iniciar suas atividades já no mês de junho de 2011 e utilizará como endereço eletrônico o e-mail itvdeitanhaem@hotmail.com , para contatos, sugestões ou informações.



Saudações Tucanas


João Carlos Forssell
Presidente

sexta-feira, 20 de maio de 2011

ALCKMIN QUER SERRA À FRENTE DE INSTITUTO TUCANO PARA "UNIR O PARTIDO"


São Paulo – O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, defendeu publicamente a indicação de seu antecessor, José Serra, para o comando do Instituto Teotônio Vilela, ligado ao PSDB. A sugestão vinha sendo defendida em conversas de líderes tucanos e pode desagradar ao ex-senador Tasso Jereissati (CE), indicado para o posto desde o fim de seu mandato, em janeiro deste ano. O governador paulista acredita que a saída poderia unir o partido.

Alckmin afirma ter discutido a possibilidade com o próprio Serra na quarta-feira (16), quando ambos estiveram em Brasília. "Conversamos sobre isso... Acho Serra um ótimo nome, preparadíssimo, pode dar uma boa contribuição ao partido no Instituto Teotônio Vilela", recomendou. "O que nós vamos fazer é ajudar para unir o partido, para todos estarem representados", disse Alckmin a jornalistas após cerimônia no Palácio dos Bandeirantes nesta quinta-feira (19).

O instituto funciona como centro de estudos e de formação política no PSDB. A escolha da direção do órgão, bem como toda a executiva serão eleitos no próximo dia 28, data da convenção partidária. Atualmente, Luiz Paulo Vellozo Lucas, candidato derrotado na disputa para o governo do Espírito Santo em 2010, comanda o instituto. Ele deve retornar aos quadros do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), do qual é funcionário de carreira concursado.

A acomodação de Serra no instituto contornaria a divisão no PSDB para a definição da presidência da legenda. O senador Sérgio Guerra (PE), que ocupa o posto, é candidato à reeleição, mas Serra estava articulando junto aliados a possibilidade de chegar ao cargo.

Além das incertezas em relação aos rumos dos partidos de oposição – especialmente após o esvaziamento do DEM a partir da criação do PSD pelo prefeito de São Paulo Gilberto Kassab –, os tucanos assistem a divisões internas. Serra, Alckmin e o senador Aécio Neves, ex-governador de Minas Gerais, são apontados como interessados em mudar o equilíbrio de forças na sigla, com vistas à candidatura à Presidência da República em 2014.

Redação da rede Brasil Atual

quarta-feira, 18 de maio de 2011

EM MEIO A DISPUTA,ALCKMIN DIZ TRABALHAR POR ACORDO NO PSDB


A semanas da convenção tucana,governador desviou de polêmica sobre composição da executiva nacional.


Enquanto o PSDB se vê envolvido nos bastidores na disputa pela composição de sua direção nacional, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, procurou passar a mensagem de que fará o que for necessário para que a sigla chegue a um consenso. Depois de participar da comemoração de 10 anos de uma fábrica de caminhões em São Bernardo do Campo (SP), Alckmin disse trabalhar pelo "entendimento". "O que eu puder fazer para ajudar a amalgamar, unir todo mundo a ter um bom entendimento, eu vou fazer", afirmou.


Os tucanos vão para a convenção nacional da legenda, marcada para o dia 28 deste mês, com uma chapa única para a composição do diretório nacional do partido. A nova executiva deverá permanecer sob comando do deputado Sérgio Guerra (PE), mas a disputa protagonizada pelos grupos do ex-governador José Serra e do senador Aécio Neves (MG) prosseguem nos bastidores. Dentro desse cenário, Aécio busca se aproximar de Alckmin. Ontem, os dois se reuniram em São Paulo, para tentar costurar um acordo para a composição da executiva nacional.

A disputa maior envolve a secretaria-geral do partido. Os aliados de Serra tem encampado o nome de Alberto Goldman, que foi vice do candidato derrotado à Presidência na época em que comandou o governo paulista. Guerra, por sua vez, conta nos bastidores com o apoio de Aécio, que trabalha para reconduzir o deputado federal Rodrigo de Castro (MG) ao posto de secretário-geral.

Alckmin evitou se envolver abertamente na disputa e disse que há "ótimos nomes" no partido para a vaga. Ao ser perguntado sobre a possível escolha do ex-governador Alberto Goldman, respondeu que considera o nome "excepcional".

No evento, Alckmin evitou responder a perguntas sobre a evolução patrimonial do ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, nos últimos anos. "Eu não vou me manifestar sobre isso", disse. "Eu acho que cabe a ele explicar", acrescentou Alckmin.

*Com informações da Agência Estado

quarta-feira, 11 de maio de 2011

PSDB-SP FECHA ACORDO E MANTÉM CESAR GONTIJO NA SECRETARIA-GERAL


REUTERS


Na véspera da decisão, o diretório paulista do PSDB desfez o impasse e chegou a um acordo nesta quarta-feira para o nome que ocupará a secretaria-geral do partido no Estado.



Cesar Gontijo permanecerá na secretaria-geral depois que os deputados federais, que reivindicavam o posto para Vaz de Lima, aceitaram outras funções na Executiva estadual.


"Vaz de Lima abriu mão e costurou o acordo", disse à Reuters o deputado estadual Pedro Tobias, eleito para presidir a legenda no Estado.


A eleição do Diretório e da Executiva estava marcada para sábado, mas com a falta de acordo em torno da secretaria-geral, apenas o nome de Tobias foi aprovado e os demais serão eleitos na quinta-feira na sede do diretório.


Gontijo tem o apoio de Tobias, que considera o atual secretário-geral nome mais próximo das bases, característica essencial para a montagem dos candidatos a prefeito para a eleição municipal do ano que vem. O cargo é considerado o operacional do partido.


Pelo acerto, os deputados federais retiraram o nome de Vaz e indicaram Vanderley Macris para a primeira-vice-presidência e Luiz Fernando Machado para a primeira secretaria.


A disputa causou expectativa no meio político uma vez que o partido vive momentos de tensão desde que um grupo de seis vereadores da capital paulista deixou a legenda em abril. Walter Feldman, fundador da legenda, também anunciou a saída.


A situação é reflexo da eleição municipal de 2008, em que o grupo apoiou Gilberto Kassab (DEM), em detrimento de Geraldo Alckmin, candidato do partido.


Eleito governador, Alckmin passou a exercer sua influência no diretório municipal, com a escolha recente do secretário estadual Julio Semeghini para a presidência, e também agora no estadual, com o aliado Pedro Tobias. Esta ascendência pode se refletir na troca de comando do PSDB nacional, marcada para este mês. Até agora, o deputado Sérgio Guerra (PE), atual presidente, surge como único candidato.

sábado, 7 de maio de 2011

COVENÇÃO ESTADUAL DOS TUCANOS PAULISTAS ACONTECE HOJE 7/05,DAS 9 ÀS 17 HORAS,NO HALL MONUMENTAL DA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA.


A convenção estadual dos tucanos paulistas acontece neste sábado, 07.05, das 9 às 17 horas, no Hall Monumental da Assembléia Legislativa. Militantes de todas as regiões do Estado de São Paulo terão a missão de eleger os 105 membros titulares do Diretório Estadual, 35 suplentes, cinco membros titulares do Conselho de Ética, com cinco suplentes, para uma gestão de dois anos.

A chapa para esta Convenção foi organizada por eleições livres feitas pela base, em todas as regiões do estado, assim como na Capital. Prefeitos, vereadores, deputados estaduais e federais também tiveram seus representantes escolhidos.

Terão direito a voto cerca de 3.200 delegados vindos do todo o Estado, os atuais 105 membros do Diretório Estadual, os 22 Deputados Estaduais, os 11 Deputados Federais e o Senador eleito por São Paulo, além dos 47 membros do Diretório Nacional com domicílio eleitoral no Estado.

Os 105 membros do Diretório Estadual que foram eleitos reúnem-se para eleger a Executiva do partido, que é composta de 18 membros titulares e três suplentes, para um mandato de dois anos. A votação começa às 9 horas.

O atual presidente estadual, deputado federal Antônio Carlos de Mendes Thame, acredita em uma grande presença de delegados na votação, pensamento também compartilhado pelo secretário-geral do partido, César Gontijo.

Para Mendes Thame, o processo será o de manter o partido no mesmo caminho, pensando na união e no bom desempenho dos tucanos nas próximas eleições. “O trabalho do partido garantiu um grande desempenho da legenda nas eleições para presidente, governador, senador e para deputados federais e estaduais. Este mesmo trabalho, amplificado, nos dará os bons resultados que esperamos para as próximas eleições”, destaca o presidente dos tucanos paulistas.

O presidente nacional do PSDB, deputado Sérgio Guerra, o governador Geraldo Alckmin, o senador Aloysio Nunes, o ex-governador José Serra, parlamentares e prefeitos de todas as regiões já confirmaram presença no evento.

Confira os locais e horários das plenárias que acontecem durante a Convenção

SECRETARIADO DE MULHERES

9-13h

Plenário Franco Montoro

TUCANIDADE

9-11h

Plenário Paulo Kobayashi

PSDB SINDICAL

11-13h

Plenário Paulo Kobayashi

SECRETARIADO DE PREFEITOS

9-11h

Plenário Teotônio Vilela

SECRETARIADO DE VEREADORES

11-13h

Plenário Teotônio Vilela

TUCANAFRO

9-11h

Plenário Dom Pedro I

PSDB CULTURA

11-13h

Plenário Dom Pedro I

NÚCLEO DE SAÚDE

9-11h

Plenário Tiradentes

JPSDB

11-13h

Plenário Tiradentes

TERCEIRO SETOR

9-11h

Plenário José Bonifácio

DIVERSIDADE TUCANA

11-13h

Plenário José Bonifácio



Serviço:

Convenção Estadual do PSDB

Data: 07/05/2011

Horário: das 9h às 17h

Local: Assembléia Legislativa de São Paulo

Endereço: Avenida Pedro Álvares Cabral, s/n

Bairro: Ibirapuera

Cidade/UF: São Paulo/SP

quinta-feira, 5 de maio de 2011

COM PEDRO TOBIAS PSDB-SP DEVE TER ALCKMISTA NA PRESIDÊNCIA


O deputado estadual Pedro Tobias, aliado do governador Geraldo Alckmin, deve vencer a eleição para a presidência do diretório do PSDB em São Paulo no próximo sábado. Médico de Bauru, ele é candidato único à direção da legenda.

A próxima etapa, que deve ser realizada ainda este mês, é a troca de comando do PSDB nacional, que terá olhos para as eleições gerais de 2014. Até agora, o deputado Sérgio Guerra (PE) surge como candidato à reeleição.

Com Tobias no PSDB estadual e o secretário Julio Semeghini (Gestão Pública) recém-eleito para o diretório da capital, Alckmin terá dominado a principal parcela do partido no Estado, o que deverá ter peso no nacional.

Para tentar evitar a cisão ocorrida no diretório municipal, Alckmin e o ex-governador José Serra estariam buscando um acordo para colocar o deputado federal Vaz de Lima na secretaria-geral da legenda. Vaz foi presidente da Assembleia Legislativa e líder do governo na gestão Serra.

Tobias, no entanto, afirma que seu candidato para a vaga é Cesar Gontijo, que se manteria na secretária-geral. "É o meu preferido", disse Tobias à Reuters. "Até sábado quem sabe conseguimos alguma coisa", completou, referindo-se a um acordo entre dois lados.

A primeira-vice-presidência também estaria em jogo, sendo o deputado Vanderley Macris o apoiado por Tobias.

No município, logo após a eleição realizada em abril, a legenda viu seis dos 13 vereadores tucanos deixarem a sigla alegando falta de espaço no diretório e pressões de alckmistas.

A disputa vem de 2008, quando Alckmin se lançou candidato à Prefeitura de São Paulo com apoio de parte do partido, enquanto o grupo de vereadores apoiou a candidatura de Gilberto Kassab, seguindo apelo de Serra. Alckmin não conseguiu chegar nem ao segundo turno, disputado entre Kassab e Marta Suplicy (PT).

Pedro Tobias não vê divisão no partido entre Alckmin e Serra. Apesar de se considerar amigo-irmão de Alckmin, diz que fala com Serra "todos os dias" e que o ex-governador é importante para o partido.

Em relação às baixas, admite que "Kassab trabalha para ocupar nosso espaço" e adianta que vai ser rígido como presidente. "Chega desta polêmica. Nossa briga é com o PT e não com o Kassab."

Tobias, que está no quarto mandato como deputado estadual, nasceu no Líbano, formou-se em medicina em Paris e veio ao Brasil em 1979. Vai suceder o deputado Antonio Carlos Mendes Thame, que está à frente do PSDB-SP desde 2007.

(Reportagem de Carmen Munari)